Antes que você me deixe

“A vida sem lirismo

não é vida –

é abismo.”

– Clara Cavalca –

Parece que foi ontem…talvez tenha mesmo sido. Não sei bem, em que esquina a gente se perdeu, não consigo perceber em qual momento você foi embora e eu fiquei…sozinha.

Na verdade, acredito que já estava só, muito antes de você ir levando seu corpo. Acho que já fazia um tempo que eu vivia com uma sombra. Como não percebi? Percebi e quis me enganar descaradamente? Não…eu não tenho medo da solidão física, que me permite ocupar todos os espaços da cama. Nem tampouco sentirei falta do teu sexo, tão simples quanto de qualquer outro. Não foi isso…Deve ter sido a vontade de me sentir necessária, viva para o outro-além-de- mim. É isso. Parece que não me basto. Respiro essa ânsia de  ser  lembrada, requisitada, importante para o outro. Talvez por isso tenha adotado meus gatos, para que me ajudem a suprir essa carência tola de cuidar.

Então você finalmente saiu da minha vida e agora, um pouco mais lúcida, nem entendo como foi que te deixei entrar. Demorei pra me acostumar com teu cheiro, com esse olhar morno-meio-morto, com teu jeito de príncipe dos pobres. Eu caí no teu engodo porque cansei de brigar com a vida, fui te deixando ficar um dia depois do outro…e quando vi, já não sabia como viver sem aquele cotidiano tosco, cheio de previsibilidades.

Chico [o Buarque], já dizia de cotidianos: “todo dia ela faz tudo sempre igual…” e sem saber, eu ansiava ser música, daquelas com refrão tão repetitivo que grudam na memória mesmo que a gente não queira, mesmo que a gente deteste. É isso! Meu romantismo babaca-existencial queria com toda força, grudar na memória da pele do outro. Inconscientemente, eu queria que você nunca mais pudesse me esquecer. Dane-se a distância que estará entre nós, você vai lembrar de mim…muito mais do que gostaria. Porque esse meu jeito trágico-sentimentaloide-irritante é contagiante e, sem que se perceba, ele gruda. Na pele, na mente e [não adianta negar] na sua emoção.

Você foi embora…já faz o que?uns dez anos?ou serão vinte? Não sei mesmo. Sei que você não me fez falta. Ridículo, não é? Eu sofri tanto, chorei tanto…pensei até em me matar! Haha. Devo ter visto muita novela mexicana quando criança, para precisar de tanta encenação. Afinal…você foi embora…mas fui eu que nunca acreditei de verdade que você existia. Agora, sem sentir tua falta, eu me pergunto se foi você que foi embora ou se fui eu que te inventei pra descobrir se eu conseguia viver com alguém além do meu umbigo…

e fim.

Anúncios

3 comentários sobre “Antes que você me deixe

  1. E, de repente, a gente se observa presente em determinada história, de uma maneira muito mais forte ou intensa do que gostaria… Talvez não se trate de prisão, mas sim da própria rotina em si, que nos vincula sem se deixar perceber.
    Lindas letras, que se transformam em cenários palpáveis no meu imaginário.
    Beijos, com carinho imenso sempre!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s