VIDA [DIVA]

Acordei hoje com esta dúvida atroz
Sondam-me a alma pensamentos distantes
Soltos, livres, presos a desejos infindos.

Quem sou eu?
Depende do teu olhar,
Da tua forma de amar,
Da tua capacidade de vislumbrar
Além de sorrisos,
Corpo,
Beleza mundana.

Quem fui eu?
Aquela que sonhou com a vida
Andou embebida em ilusões aos montes.
Mulher castrada, presa, amada
De forjada hipocrisia
De amargura disfarçada.

Estou eu
A fechar-me em sentimentos cíclicos
A correr em busca de mim
A jogar fora meu passado
A descobrir o meu presente
A receber escancarada vida
A beijar meus lábios
A sentir meu gosto…

Taí… acabei de descobrir!
No meu profundo gozo,
na minha saudade imensa
no meu vazio eterno,
no meu ser escaldado…

Sou a bela que fugiu para longe,
Sou a fera que ruge todos os dias
Sou a solidão da espera,
Sou aquela…
Sou aquela…
Que não te quer longe.
Nunca!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s