A delicadeza de existir

O tempo mudou de rotação. A vida pirou completamente e eu, que antes era meio louca, agora me vejo quase sã num mundo de loucos medicados e outros (sem remédio?) senhores de verdades únicas e absolutas.

Cansei! Cansei pra valer. Alguns chamam de depressão, outros de preguiça, falta de vergonha na cara, a medicina arruma mil nomes de doença e nada disso me parece real, nada disso me parece minimamente perto de ser verdade. Já passei por depressão algumas vezes e percebo uma diferença abismal. Ultimamente, a pouca tristeza que me permeia é externa e vem dos barulhos do mundo lá fora. Aqui dentro, vivo de remoer uma ou outra frustração, mas elas quase não falam. Aqui dentro há mil crenças, zilhões de sentimentos calados, abraços não dados, corridas não feitas. Há respirações profundas, paciência e auto perdão sendo cultivados como sementinhas recém plantadas.

A mente, volta e meia, sai pra passear. Fica vagando por horas ou minutos, assiste mil coisas que aos poucos vai liberando. Minha mente fugiu de casa por não aguentar o peso da realidade, por não saber conviver com todas as regras e necessidades da vida capitalista moderna, pela total incompetência em competir com meus iguais.

O corpo dói. Às vezes uma dor  suportável, onde risos e trabalhos conseguem existir e se sobrepor, em outras, a dor é tanta que anestesia a existência e me carrega pra um mundo do qual não lembro.

Viver é simples, a gente é que complica tudo com ilusões variadas e competições mesquinhas e muito bobas. A maior parte do tempo, consigo rir dessas bobagens sérias da vida cotidiana, outros tempos, sou contagiada e fico ácida, arredia.

Respiro.

 

Anúncios

3 comentários sobre “A delicadeza de existir

  1. Minha querida, sei muito bem isso que está sentindo. Acredito que são sintomas de quem tem sensibilidade acima do normal. Daí, sentimos tudo numa proporção absurda e isso, tira nosso prumo e nos faz sentir uns E.T.s nesse mundo tão desigual. Adorei te ler logo no início do ano. Você arrematou seu texto dizendo uma grande verdade: a vida é simples. Nós é que a complicamos. Por conta dessa conscientização, é que tenho buscado cada vez mais a simplicidade nas coisas. E confesso que estou bem. Acho que o caminho é esse. Beijos

    Curtir

  2. Gente! Perdão pela intromissão mas durante o processo terapêutico por qual venho passando também descobri que viver é simples e que usar a razão para enxergar o mundo não impede que a nossa sensibilidade se manifeste, mas faz com que enxergamos as coisas como elas são, fica mais fácil assim. Só que é difícil pra caralho. 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s